Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


POEMA DE RESISTÊNCIA

por avidarimar, em 11.09.15

Do cimo do monte

Olho em redor esta terra

E da brisa que flui

Fica da tristeza o odor

O eco das vozes deste povo

Penetradas na dor

De quem luta até à exaustão

E por compensa nada de novo

Apenas uma luta em vão

 

No cimo deste monte

A brisa não para

E os homens lá em baixo

Caminham solitários

Na estrada de chuva

Que os leva a parte nenhuma

E nos olhos o cansaço

Da vã glória de sonharem

Outro país florescido

E o sonho parece perdido

 

Do alto deste monte

Bem alto gritarei

Os sussurros dos homens vergados

E se alguém encarnar a dor

Em tons mais elevados

Venham de todos os povoados

Juntem-se todos a nós

Bem no cimo deste monte

E lutem

Pelos que já sem voz

Buscam também

A água desta fonte

Donde brotam os versos da resistência

E correm firmes à foz

Em busca da sobrevivência

 

Cantemos dia e noite o poema

Do alto desta montanha

Ao redor do crepitar da fogueira

Deixemos a nossa trincheira

Só ao medo a algema

Nesta missão suprema

Montemos cavalos alados

Num país sem ignorados

 

LUMAVITO

20150903

CLI

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:38



Pretendo abordar diversos temas da vida de um país, em claro desespero de sintonia entre governados e governantes. A forma pretende ser a poesia, com mais preocupação pelo conteúdo da mensagem que pela forma de estilo.

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D