Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


ESTE TODO SER CONSTRUÇÃO

por avidarimar, em 13.04.15

Uma parte de mim quer

A outra           em mim       pondera

Um pedaço de mim sonha

O outro de mim         prevê

Um lado quer que eu aja

De mim, o outro mede

Um cérebro dorme

Por mim, o outro vigia

Parcelas de mim projectam

Tantas outras a realizar

 

Que identidade, que acção

Tantas outras questões que ficam

Outras tantas que solidificam

Um ser entre milhares de milhões

Elevados a tantas potências

Geometria do pensamento enquadrado

Quadrado, redondo, triangular

Regular, obtuso

Concavo, convexo

Todas as formas, transformações

Que cavalgam o amago das divergências

Das confluências, das aparências

Aspectos, imagens

Catalisador do pensamento

Estes pedaços, parcelas

Lados, arestas, ângulos

Maiores, enormes

Pequenos, diminutos

Eles todos, todos juntos

Identidade

São os que definem um ser

Que objecta, constrói

Participa, impulsiona

Ao mesmo tempo, emotivo

Sem perder o equilíbrio.

 

Da intercessão das partes

Na conjunção dos pedaços

Surge a figura do conjunto

Montão, mistura

Do osso e do músculo

Inclusão da febra e da gordura

Esforço, resistência

Acto consolidado

Cunho, índole, firmeza

Pela natureza do simples elemento

Caracter estruturado

Dá lugar à estrutura do pensamento.

 

Um ser que pensa

Em coexistência com o coração

Ente que resolve

Com base na razão

Mas que avança, da que pensa

A melhor feição.

 

Sabendo que somos etéreos

Passamos, progredimos

Crescemos, aumentamos

Nova etapa, regredimos

De energia

Sem perder o norte

Do objecto final

Saímos deste mar

Deixando mais

Do que encontrámos.

 

Com todas as migalhas

Se conta uma vida

Tantas outras, outras tantas

Parecidas, semelhantes, confundidas,

Nunca iguais

Com cunho irrepetível

Que evoluímos para a cinza.

 

Deixamos marcas, construímos pistas

Deslizamos em construção

Olhar para trás, sem temor

O objecto tem formas múltiplas

Génio porventura

Loucura em dose quanto baste

Para tantos, deformações

Caminho agreste, desventura

Importa prosseguir viagem

Com dignidade, sem ilusões

Sem manhas, com artes

Do saber

Saído da terra

Ora miragem

Salto sentido, finda no lodo

É meu, com todas as partes

Só assim fazem sentido

Todos os pedaços deste todo.

 

LUMAVITO

18/02/2014

 

(In ludecenio loures)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:50



Pretendo abordar diversos temas da vida de um país, em claro desespero de sintonia entre governados e governantes. A forma pretende ser a poesia, com mais preocupação pelo conteúdo da mensagem que pela forma de estilo.

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D