Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


NAVEGAR

por avidarimar, em 29.06.16

Apetece-me navegar sem destino

Velejar perdido saboreando o vento

Sentir que a urbe está bem longe

E o horizonte seja lugar clandestino

O relógio seja máquina sem tempo

Que a brisa seja perfume e sustento

 

Quero ver do extenso mar

Irromper o sol de oriente

Quero ver a grande estrela solar

No zénite mais quente

Quero vê-lo curvar-se no horizonte

Lançando ancora a ocidente

 

Contemplar o meridiano celeste

Sem vivalma que à vista se aponte

Bem longínquo do deserto agreste

Cruzar os mares em contramão

Quero saborear no mar a solidão

 

LUMAVITO

CLXXVI

20160629

20160629 IMG_0013.JPG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:40



Pretendo abordar diversos temas da vida de um país, em claro desespero de sintonia entre governados e governantes. A forma pretende ser a poesia, com mais preocupação pelo conteúdo da mensagem que pela forma de estilo.

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2016

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D